Início > Sem categoria > Diabolando – por Elayne Pontual

Diabolando – por Elayne Pontual

O blog da Revista Graciliano, publicação cultural editada pela Imprensa Oficial do Estado de Alagoas, em seu quinto ano de existência e com novo visual, “já tratou dos mais diferentes temas, sempre com um olhar contemporâneo e o compromisso de, a cada edição, levar informação e estímulo à reflexão“.

Uma de suas publicações foi sobre diabolô, num texto com as impressões de leitura de Elayne Pontual, estudante de Comunicação Social da UFAL e estagiária na Editora da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

Aqui, suas impressões:

Elayne Pontual

Diabolô é um antigo brinquedo chinês que, da união de duas semiesferas invertidas, corda e dois bastões, é possível fazer várias manobras. A ideia de equilíbrio e as possibilidades de movimentos levaram o ator, professor e escritor alagoano Nilton Resende a intitular seu primeiro livro de contos com o nome do objeto lúdico.

Dentro das 115 páginas de Diabolô (Edufal, R$ 25), quem protagoniza e narra o primeiro conto, A ceia, é um adulto que mastiga as lembranças das crueldades que atentou contra o avô na infância. Entre um movimento e outro, o menino desvencilha-se do castigo, ignorando as consequências e o senso, completamente ausente, de justiça. No texto, a criança de índole ferina assemelha-se às mãos que controlam as duas semiesferas – uma seria a mãe e a outra o pai. Um conto cruel e profundo, que lembra, de forma hábil e delicada, o quanto de crueldade pode haver na infância aparentemente inocente.

Primeiro livro de contos do alagoano Nilton Resende

A infância é igualmente retratada em A canção e a sombra. Desta vez, quem narra a história é um garoto amável e reflexivo, que faz uma viagem com os pais ao sítio da avó e conhece sua “tia louca”. Esta, trancafiada pela família, esconde um segredo “imoral”. A narrativa flui com leveza, em meio a metáforas singelas – como o mulungo, que parece um forte candidato a representar a inocência – e descrições precisas, que podem deixar qualquer leitor mais conservador de queixos caídos.

Em meio ao vai e vem do Diabolô, a coletânea de contos não se resume apenas às travessuras ou maldades dos pequenos. A velhice é também protagonista na obra de Nilton. Em Não é tempo de maçãs, o narrador descreve com entusiasmo os caminhos percorridos por uma senhora que, animada com o casamento do filho, decide comprar um vestido para a ocasião e, a partir de um fato ocorrido na loja, nutre um desejo de vingança. A narrativa, com toda sua densidade, traz a bruxa dos contos de fadas para os tempos modernos, onde o desejo de tirar a vida de alguém está atribuído às condições psicológicas da personagem e não apenas ao impulso cruel da maldade pela maldade, pura e vazia.

Muito bem arquitetadas, as histórias de Diabolô transitam sem esbarrar em clichês e levam o leitor a conhecer os segredos, obsessões e frenesis humanos que são revelados por Nilton com a habilidade de quem tem uma imensa bagagem literária e utiliza de recursos linguísticos com muita naturalidade.

Contemplado pelo Prêmio Lego de Literatura na categoria contos, Diabolô foi lançado em 2011 com projeto gráfico realizado pela Núcleo Zero e capa criada por Weber Salles Bagetti. Instituído em 2007 pela Universidade Federal de Alagoas, o prêmio já conta com sete livros e tem como finalidade promover e divulgar a produção literária alagoana, além de incentivar a leitura e viabilizar o acesso a obras de escritores locais (confira na revista Graciliano nº 12 uma reportagem especial sobre os vencedores do Prêmio Lego de Literatura).

Texto originalmente publicado aqui.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: